Como prevenir trombose, no avião?

19.06.2017


Já já chegam as férias, e mesmo a negócios, muitas pessoas fazem viagens longas de avião, não é mesmo?

 

Mas sempre fica aquele receio, aquela conversa, aquele bate-papo com amigos sobre alguém que já teve trombose nas pernas, viajando de avião.

 

E até certo ponto, é comum isso acontecer, em pessoas com predisposição para varizes profundas, trombose de veias, durante um vôo longo, por exemplo, esse risco até aumenta.

 

durante um vôo longo, por exemplo, esse risco até aumenta

 

E por que isso ocorre?

Quando ficamos sem mover as pernas, por muito tempo, prejudicamos a volta do sangue venoso dos membros inferiores para o coração.

Podemos com isso aumentar a chance de formarmos um coágulo, os trombos dentro dessas veias profundas, levando a uma obstrução total ou parcial dessa veia.

 

O sintoma mais comum é a perna, geralmente na panturrilha, a chamada "batata da perna" ficando inchada, dolorida na maioria das vezes e quente, levando a um endurecimento do local.

 

E dentre as complicações dessa trombose, podemos encontrar como consequências, insuficiência venosa crônica, embolia pulmonar, podendo inclusive levar a óbito.

 

E então, Como prevenir a trombose em aviões?

 

Recomendamos o seguinte:

  • Use roupas confortáveis e largas, que não causem compressão

  • Se você tiver já algum problema vascular ou alguma situação em que seu médico oriente, meias elásticas, podem lhe ajudar, sempre com orientação médica.

  • Levante-se e ande pelos corredores do avião. Não fique mais do que duas horas sentado na mesma posição.

  • Alguns exercícios feitos na própria poltrona do avião de fácil execução ajudam a passar o tempo e a prevenir a trombose (Girar o tornozelo com os pés levantados, cerca de 30 segundos, repita o movimento com o outro pé; faça exercícios com os pés simulando uma pedalada na maquina de costura, também por cerca de 30 segundos; erga o joelho até o peito e segure com as mãos, durante 15 a 30 segundos).

 

E por que eles aparecem?

Existe a predisposição genética a desenvolver varizes, tromboses, formação de coágulos, com casos semelhantes na família.

E também alguns fatores, como idade maior que 65 anos, obesidade, gravidez e puerpério, algumas doenças e cirurgias prévias, uso de hormônios, por exemplo.

 

 

por

Dr. Giulio Cesare - CRM 83.543

 

 

Compartilhar on Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Please reload

Posts Em Destaque

Revisão da NR 17 avança com alguns impasses

February 27, 2020

1/4
Please reload

Posts Recentes

January 8, 2020

January 8, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags