Por que cuidar da voz do seu trabalhador?

Se você não se preocupava muito em como anda a voz do seu trabalhador, deveria ler o texto abaixo.

Não é infrequente termos presenciado trabalhadores que usam a voz de maneira profissional serem afetados por distúrbios da voz e isso pode repercutir no empregador.

Caso ele exerça atividade que possa piorar a sua voz, como o caso de disfonias (doenças da voz), por exemplo, a empresa que não zelar pela saúde da empregada deve reparar os danos morais que sua omissão causou à trabalhadora.

Um exemplo típico desse situação se deu quando a 6ª Turma do TRT mineiro, manteve a sentença que a condenou a pagar a uma monitora as parcelas relativas a rescisão indireta do contrato de trabalho, assim como indenização por danos morais.

Ficou demonstrado que ela sofria de disfonia agravada pelo trabalho e a empresa nada fez para modificar as condições de trabalho e impedir o avanço da doença.

De acordo com a perícia, a funcionária apresentava um quadro de “Disfonia Organofuncional” agravada pelo trabalho. Ou seja, a ocupação da reclamante contribuiu para a sua patologia, agindo como “concausa” da doença. Para o perito, não houve dúvidas sobre o nexo causal e técnico entre o quadro clínico da empregada e as atividades que ela desenvolvia na ré. Em seu laudo, ele esclareceu que a monitora “fez mal-uso da voz para trabalhar”, acrescentando que o ambiente não era acusticamente adequado para a atividade e que, apesar disso, a empregadora não teve nenhuma iniciativa para preservar a voz da empregada, o que poderia ter sido feito, por exemplo, através de programa fonoaudiológico https://www.ampai.com.br/servicos específico.

Em seu exame, o relator entendeu que esses fatos são suficientes para caracterizar a falta grave da empregadora.

A Turma reconheceu a rescisão indireta do contrato de trabalho pretendida pela reclamante e condenou a empresa a lhe pagar as verbas decorrentes, ficando mantida a sentença, no aspecto.

Danos Morais

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho 3ª Região Minas Gerais, 19.05.2017

Portanto, para evitar ações trabalhistas, multas, danos morais, prejuízo a saúde de seus colaboradores, mantenha uma assessoria em medicina ocupacional, consulte a AMPAI, há mais de 40 anos cuidando da saúde do trabalhador.

Sede - Pinheiros

Rua Cristiano Viana, 131

Jardim América - SP 

11 3064-7585

Unidade Sul - Shop. Interlagos

Avenida Interlagos, 2255

Interlagos - SP 

11 3471-9010  / 3471-9012

Unidade Leste - Shop. Aricanduva

Av. Aricanduva, 5555

Vila Matilde - SP 

11 3061-0910 / 3444-2321

Unidade Oeste - CEASA

Avenida Doutor Gastão Vidigal, 1946

Vila Leopoldina - SP 

11 3832-4049 / 3835-9576

  • LinkedIn da Ampai
  • Facebook da Ampai
  • Ampai no Instagram

AMPAI - Medicina e Segurança do Trabalho

ampai@ampai.com.br